O ESPORTE DE ASSU E REGIÃO, OBRIGADO PELA VISITA

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

“Baraúnas está inviabilizado”, diz presidente interino. Clube deve ter eleições em um mês

Presidente nomeado pela Justiça, Zé Carlos de Brito diz que o Baraúnas está inviabilizado. (Foto: Marcos Santos/Jornal De Fato)
Presidente nomeado pela Justiça, Zé Carlos de Brito diz que
o Baraúnas está inviabilizado. (Foto: Marcos Santos/Jornal De Fato)
Com dívidas que chegam à casa dos R$ 400 mil, e após a revelação, mês passado, de que o clube não tinha um diretoria legalmente constituída desde 2005, o Baraúnas mergulha cada vez mais fundo em um poço de incertezas. Na noite desta quarta-feira (5), em entrevista no programa Panorama Esportivo, da Rádio Difusora de Mossoró (1.170kHz), o advogado do clube, José Carlos de Brito, nomeado presidente interino pela Justiça, em despacho do Juiz Herval Sampaio, da 2ª Vara Cível de Mossor, fez revelações e confirmou posições que traduzem a realidade do Tricolor. Indagado sobre a situação do clube com reclamações na Justiça do Trabalho, Zé Carlos não fantasiou: “Tem umas 20 ações trabalhistas. Hoje, quem aciona o clube na Justiça já sabe o caminho: pede logo o bloqueio do patrocínio da Prefeitura, como fez Samuel Cândido (técnico)”. Como presidente nomeado, Zé Carlos, que não pretende demorar no cargo, disse que vai convocar eleições para setembro, dando prazo para o novo presidente arrumar a casa antes da temporada 2016. Ultimamente, as eleições estavam sendo realizadas em novembro. Antes, elas ocorriam em janeiro, mês de aniversário do clube. “Para isso vamos ter de alterar o estatuto”, admitiu. Sobre o fato de o Baraúnas vir trabalhando de forma irregular, devido a falta de diretorias legalmente constituídas, ele revelou que foram pelo menos oito atas que ficaram sem registro pelos dirigentes que assumiram o clube nos últimos dez anos. “A última ata registrada foi em 2005, depois daquele jogo do Vasco aqui, pela Copa do Brasil”, revelou. Para piorar, não há mais como oficializa-las, pois o livro contendo esses registros, foi extraviado. Sobre a possibilidade de não aparecer pretendente no próximo pleito, Zé Carlos brincou: “Não acho que o Baraúnas fica sem presidente. Se não aparecer ninguém, Josirene Ribeiro assume”, previu, referindo-se à vice-presidente da gestão passada. Depois, mais sério, admitiu tomar uma posição drástica e que defende há alguns anos, diante do caos instalado no clube. “Se não tiver candidato, marco uma nova eleição. Não ocorrendo novamente, por falta de candidato, vou sugerir o fechamento do clube”, enfatizou.
Fábio Oliveira/F9.net.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário